Síndrome do Intestino Irritável

Síndrome do Intestino Irritável

O QUE É A SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL?

Grande parte da população mundial sofre com sintomas de gases e dores abdominais, diarreia ou constipação intestinal (prisão de ventre), fato que pode caracterizar a Síndrome do Intestino Irritável.

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é uma condição benigna que não evolui ou mesmo predispõe a doenças malignas. No entanto, esta síndrome muitas vezes é fruto de grande ansiedade. Ela não possui um método diagnóstico específico. Na verdade, a sua detecção se dá pela suspeição clínica e pela exclusão de outras doenças que acometem o sistema digestivo.

COMO TRATAR?

O tratamento se baseia primordialmente na tranquilização do paciente acerca de seu diagnóstico. O fato de saber que esta doença não tem uma evolução desfavorável já é um grande fator que contribui para a melhora dos sintomas.

Outro pilar do tratamento é a orientação dietética e a adoção de hábitos saudáveis de vida. Um grupo de alimentos chamados FODMAP, que são carboidratos altamente fermentáveis e mal absorvidos pelo intestino, estão altamente envolvidos nesta síndrome.

Este nome, FODMAP, na verdade se refere aos seguintes carboidratos:
• F = Fermentáveis
• O = Oligossacarídeos
• D = Dissacarídeos
• M = Monossacarídeos
• A = and (e)
• P = Polióis

Estes alimentos tem uma alta osmaridade, ou seja, uma alta concentração de partículas por volume. Dessa forma, esta alta osmolaridade proporciona a formação excessiva de gases pela microbiota intestinal, e acabam por desencadear os referidos sintomas.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE FODMAPS E ONDE SÃO ENCONTRADOS?

1 – Monossacarídeos: Xarope de milho, mel, néctar de agave, maçã, pera, manga, aspargos, cereja, melancia, sucos de fruta, ervilha.

2 – Dissacarídeos: Leite de vaca, leite de cabra, leite de ovelha, soverte, iogurte, nata, queijo ricota e cottage.

3 – Oligossacarídeos: Cebola, alho, alho-poró, trigo, farinha, centeio, caqui, melancia, chicória, dente-de-leão, alcachofra, beterraba, aspargos, cenoura vermelha, quiabo, chicória com folhas vermelhas, couve.

4 – Polióis: Xilitol, manitol, sorbitol, glicerina, maçã, damasco, pêssego, nectarina, pêra, ameixa, cereja, abacate, amora, lichia, couve-flor, cogumelos.

COMO IDENTIFICAR OS ALIMENTOS QUE DESENCADEIAM OS SINTOMAS DA SII?

Dos FODMAPs listados acima e que fazem parte de sua dieta, retire-os um a um lentamente.

Após um determinado período, que pode variar de uma a duas semanas, reintroduza o alimento que foi retirado para se ter certeza de que foi ele o causador dos sintomas; caso o sintoma retorne com a ingestão do FODMAP listado, este pode ser o causador do sintoma e deverá ser retirado da dieta em definitivo.

A dieta com baixo teor de FODMAPs funciona em mais de 70% dos casos de SII. O trigo, a cevada e o centeio são fontes primárias de glúten, por isso, quem está fazendo a dieta com baixo teor de FODMAPs não deve ingeri-los.

O uso de medicamentos que melhoram a contratilidade intestinal, que reduzem a dor abdominal e a formação excessiva de gases, são estratégias utilizadas num segundo momento, quando não se verifica um resultado satisfatório com a orientação alimentar, ou mesmo de forma simultânea para se obter um alívio sintomático com maior rapidez.

Quando a reeducação alimentar não surte o devido efeito, o paciente deverá ser submetido a uma revisão de seu diagnóstico.

Psicoterapia e exercícios físicos regulares auxiliam em no tratamento da Síndrome do Intestino Irritável.

É necessário sempre um acompanhamento por um profissional capacitado ou mesmo uma equipe multidisciplinar para se atingir o objetivo almejado que é o resolução do desconforto e a qualidade de vida.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp